quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Sem remédio

Não importa a hora, o lugar, ou quantos anos você tem, porque ela sempre vem. E pior, ela não vem uma vez só, igual catapora. Não coça, nem arde. Mas as vezes demora pra ela passar, as vezes não passa. As vezes ela vem por descuido seu, ou pelo tempo mesmo. Pra quem ainda não pegou, se prepara, porque a saudade não é fácil não! E ela chega, sem hora pra ir embora, ela chega. Eu queria mesmo era poder chamar minha mãe e pedir um remédio...

3 comentários:

Malú Azzoni disse...

To adorando o seu jeito de escrever, Nii!
Nem me fale. Dá vontade de chamar a mãe e pedir colo.
beeijo grande :*

Júlia disse...

Adorei seus textos Ni!
Brigada pela visitinha, volte sempre.
To seguindo aqui já,
beijos.

Leticía Gomes disse...

NIIII esse blog é muito sua caara *-*
muito fofoo.

ps: engolindo desesperadamente as palavras pra descobrir do que se tratava o texto, rs.

to indo ler od de baixo.
amei *-*